HÁ UMA OUTRA FORMA DE COMBATER O COVID

O novo coronavírus, 2019-nCoV, tem causado um certo pânico em vários países já que, até o momento, não existem vacinas ou medicamentos antivirais aprovados para prevenção ou tratamento da Covid19. As autoridades responsáveis pela saúde coletiva perderam o controle sobre a disseminação do vírus, pois pessoas sem sintomas podem infectar outras pessoas. Quanto mais se multiplica, mais casos existem e maior o risco de mutação.

Uma vez que este é um vírus cujo material genético é de RNA, já deve ter sofrido mutações e continuará a mudar enquanto continuar a circular nos seres humanos. Isso acontece normalmente com alguns vírus, como por exemplo o vírus da gripe, razão de termos imunidade permanente, mesmo vacinando. Portanto para sarampo, pólio, etc., nossas células de memória do sistema imunológico sempre que entramos em contato com esses vírus, elas são reativadas e podemos nos defender.

Em relação a alguns vírus isso não é possível por que ele está mudado, fica diferente cada vez, e nosso organismo não o reconhece. Além disso para alguns vírus que “sabem” se esconder dentro de nossas células, não conseguimos produzir vacinas. Veja o caso do HIV que circula entre nós desde a década de 80 e após 40 anos continuamos sem ter vacina.

O que pode nos defender contra esse vírus e manter a imunidade inata, também chamada natural ou Th1, ativada. A imunidade, a defesa, se faz por meio de células e moléculas, todas interagindo e todas importantes. Acho que todo mundo já viu algum filme onde uma sentinela é responsável por vigiar um forte, uma fortaleza, e que dá o aviso da invasão.

É comum esse vigia se cansar ou adormecer e quando dá o alerta, já é tarde, a defesa dessa fortaleza fica muito mais complicada. No nosso organismo a célula que faz o papel de sentinela é o macrófago. Por isso essa célula se encontra em todas as possíveis portas de entrada do nosso organismo: pele, todas as mucosas (oral, no aparelho digestivo, respiratório, urinário), sistema nervoso central e periférico, revestindo capilares sanguíneos e linfáticos, órgãos como fígado, baço e pulmões, enfim, em todo o nosso organismo.

E é produzido pela medula óssea, que produz nosso sangue, continuamente lançado na corrente circulatória, invadindo os tecidos e substituindo os mortos em combate. Mas assim como as sentinelas humanas eles nem sempre estão muito atentos, tanto que em inglês o termo usado para os macrófagos residentes é “resting macrophages”.

Portanto a resposta imune inata não apenas exerce uma função protetora importante, mas também serve para iniciar e regular as defesas via resposta imune adquirida subsequente. E sabem qual é a boa notícia? Após mais de 20 anos de pesquisa, com todos os controles cuidadosos, sabemos que existe um complexo homeopático muito eficiente, na verdade existem vária homeopatias boas, mas a de ação mais rápida que vimos até agora foi encontrada no medicamento codificado como M8.

O M8 não é uma vacina, mas pode impedir o desenvolvimento da Covid19 ativando nosso Sistema Imune inato, e, mesmo que o vírus sofra mutação ou recombinação, ainda assim as células CD8, NK e macrófagos podem reconhecer as células portadoras do vírus e permitir a produção de anticorpos específicos pelos linfócitos B.

Como o complexo m8 pode nos proteger contra um vírus mutante ou recombinante como o causador da covid19?

ATIVANDO O NOSSO SISTEMA IMUNOLÓGICO INATO!

África do Sul: Modul8

Índia: Anbuta Plus

Brasil: Farmácia Homeoterápica

Mais informações