Ministro Guedes e o funcionalismo

Ministro Guedes diz que funcionários públicos não podem ficar em casa com geladeira cheia – “Não peçam aumento”, diz ele. Isso já fazia parte dos planos de nosso folclórico Posto Ipiranga dos pés descalços antes do período Covid-19.

Traz novamente o tema à baila, agora aproveitando o clima emocional.

Precisa olhar isso com cuidado, até mesmo porque quem mandou os funcionários do INSS para casa e em “home-work” foi ele. Autorizaram até servidor que não tinha computador a levar o da repartição. Até o momento magnífica experiência, eis que sem as agruras do trânsito a produtividade geral aumentou.

Repartições vazias, economias várias tipo Luz, água, segurança diminuída, etc. Então, excelência, retira ao menos os servidores do INSS dessa sua fala porque apenas cumpriram suas próprias ordens.

Boas ordens, por sinal! Também desconhecemos pedidos de aumento dos servidores-raiz, a turma dos “concursados” do Executivo –Não é aí que estão as mordomias, nem os salários messiânicos. Mas aí estão os vulneráveis, os atacáveis.

Começa então pelo Judiciário, Excelência, depois limpa as mordomias do Legislativo e “ surpresa”- descobrirá que o Executivo já vem “ enxutinho” desde as eras pré-bolsonaro e pré-PT. Lembra, Sr. Ministro, daquele Ex-Presidente que chamou aposentados de vagabundos?

Então…. Entendo a necessidade de foguetório e ufanismo governamental Pós-Moro, mas não jogue pedras aleatoriamente, please! Esse tipo de fala tende a alimentar duas coisas: de um lado, “o nós contra eles”.

Os servidores públicos de raiz, que estão quietinhos trabalhando, atendendo pacientes nos hospitais e muitos morrendo heroicamente, que estão em suas casas em “home-work”, deixam de ser brasileiros imersos no mesmo espaço de vida que os demais conterrâneos e passam a ser vistos como nababos vivendo em um peri-espaço, nos quais estão isentos das dores dos demais brasileiros.

Irreal e desonesta descrição da realidade. Pessoalmente sou servidor público e não estou em nenhum espaço-Jaspion….

Esse tipo de postura lembra um Ex-Presidente e parece dar razão a uma parcela de analistas que dizem que a cada dia o governo de um está mais parecido com o de outro.

O Ministro Ipiranga está nessa prática.

Regresso assustador!

De outro lado o Ministro sem sapatos (respeitosamente, faltou compostura, Excelência) alimenta a sensação de fraqueza (foi “prestigiado” pelo Presidente ontem) ao atacar a própria Casa e pior, gratuitamente. Ninguém está contra ele, não ouvi um servidor dizer A ou B contra o Sr, Ministro. Por isso precisamos enfatizar o gratuitamente.

O que pretende com isso?

Ah, vamos jogar pedras nos servidores públicos – são vulneráveis e sai “ de grátis” e com isso granjeamos simpatia da população e melhoramos o IBOPE.

Sabemos que o Sr. entende de dinheiro, não é à toa que é chamado de milionário por aí. Mas se apruma, Excelência – Ibope às custas de quem está quieto trabalhando não dá… Faz igual ao Ministro Tarciso, ou à Ministra Damares- mostra serviço que o aplauso vem!

Everson Alberge Buchi

https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2020/04/736349-ministro-diz-que-servidores-nao-podem-ficar-olhando-a-crise.html