O Novo Ministro

Nessa foto, a cara de pânico do Mendes e a cara de satisfeito do Exc. Sr. Presidente podem vir a dizer muito sobre o futuro próximo.

Com 50% do nosso time ocupado hoje, sobrou para mim o comentário sobre o discurso de posse do novo Ministro da Justiça e Segurança Pública André Mendonça. Posso alegremente chamá-lo desde de já de Ministro Servo. Já que esse é a posição na qual se coloca frente ao Exc. Sr. Presidente.

Falo em analisar o discurso porque ele acabou de tomar posse. Então, nenuma obra executada, nenhuma decisão tomada. Ele precisa de tempo.

O discurso me agradou muito, aliás, acho que ele deve ter lido minha postagem sobre o estado republicano publicado, ontem, nesse blog.

Brincadeiras a parte, o discurso foi muito inspirador para os que, como eu, esperam que, representantes do executivo e das diversas instâncias do legislativo, hajam de acordo com o Direito constitucional e com os votos republicanos de igualdade de direitos e responsabilidades. Também me agradou o muito mal expressado respeito à hierarquia.

Mesmo em uma república democrática, assunto também diosutido em meu última postagem, está acima do presidente. Servidão, ou servo do presidente, talvez não sejam os termos adequados e, na mídia corrupata e com sede de sangue (do povo claro), já virou joguete.

O Ministro da Justiça e da Segurança Pública pode agir com independência em relação ao Exc. Sr. Presidente, mas não estar acima dele nesse voto hierárquico. Não foi eleito pela maioria do povo para o culpar o papel acima do mandatário (no atual governo, acima do presidente, estariam o Brasil, prova de republicanismo e deus, estidade cristã, que fique claro).

A empolgação e a energia com que fez o seu bem treinado e bem escrito discurso, colocam o Ministro Servo diretamente na vitrine do governo. Diferente do apático e tramelante Moro (não tirando dele outras admiráveis qualidades), sua entonação, seu treino professoral para dar ênfases e acordar distraídos, vão aproximá-lo da mídia rapidamente como ocorreu com o Ex-ministro da saúde.

Ele tem tarefas, que em seu discurso, são claramente consideradas importantes: levar a justiça com igualdade, isenção e responsabilidade.

Para mim, isso basta, na medida em que seja verdade.

Não tenho mais crença em políticos e governos, seja esse ou o dos 40 ladrões.

Raul de Freitas Buchi

Segue um link para alimentar as leituras:

https://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2020-04/novo-ministro-da-justic-promete-atuacao-tecnica-e-mais-operacoes-da-pf

Obs.. O corretor ortográfico do WordPress cisma em corrigir Exc.. Sempre me oferece Exu, como correção. Uma vontade de usar…